CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

domingo, 15 de fevereiro de 2015

A INUTILIDADE DA POESIA - PROFECIA DE RETRATOS EMPOEIRADOS E NUMERADOS










FONTE DAS IMAGENS: Reportagem no UOL, de Gabriel Nanbu - fotografias do holandês Martiejn Fabrie

DESPERTAMOS AO APELO DAS IMAGENS SOLITÁRIAS E INSISTENTES; desse nomes indissociáveis; solidão e poesia...

DAS PALAVRAS ÀS IMAGENS; DAS PALAVRAS AS IMAGENS, DAS IMAGENS ÀS PALAVRAS.

Despertamos ao apelo falsamente inocente desse nome: poesia...

Apenas a chance de sair do conforto inter materno para luzes incômodas;
É isso que somos; uma coleção de risos, choros, esperanças e melancolia;
Os prédios que abrigam nossa paz conversam com nossos sonhos;
Há uma angústia na solidão; mas sem a solidão, impossível a paz;
Impossível o sono e as reminiscências de todas as chances do amor!
Que é o amor? Apenas uma pergunta com sementes intrigantes; pensa-se:

0 - Sabe? Sabe aquele teto de vermelho fogo? Eu me lembro dele... perfeitamente... 
um teto cheio de arcos cúmplices, cúmplices góticos;
Ele é o ponto de partida para que tudo que te constitui se faça o vazio;
Quem sabe um vazio arquitetônico; quem sabe um vazio portentoso, mas,
VAZIO.
E por que não preencher os porquês desse vazio com outros, feitos de uma 
ou mil saudades; que se fundem, se fodem e se confundem, em mil razões...

1 Posso me sentar em uma cadeira para pensar, você jamais voltará!
Isso é de um conforto que jamais poderei explicar, coragem, não covardia;
2 É dia, talvez, embora, por orar, parece-me que ou partiram ou partem;
   ou partem-se as partículas do sol;
3 Não há mais aulas; nem férias, não há ninguém, como em Seixas; sim...
 O professor não veio para lecionar, sabia que não haveriam alunos para estudar
4 Mesmo lá fora, nos jardins, nada, não nada um só peixe  nas águas... 
  Janelas sombrias, completamente compactuadas, ninguém por elas olha...
5 Oração feita de longe, consigo mal me mover e ver a luz; mas oro
6 Talvez ponha vida nos motores, expulse a poeira, fina como pó de giz;
7 Minha oração em seu nome é tão poderosa que a casa ensaia vida;
   Ensaio perfeito, engana todos que ousam compartilhar o pensamento
8 Mas a luz é particular; é única; ela mostra o caminho apenas ao solitário;
   Sempre há algum esforço; nada, nem mesmo no pensamento, é gratuito;
   Há a escada... Ela levará a um banho para os corajosos apenas, sim;
9 O último banho, brilhante, anjos para aqueles que creem; anjos para os crentes;
   Demônios para aqueles que não leem, aqueles que mentem, sem mente.

   Mas, talvez e o certo, nada, apenas mais um olhar, e tudo volta, como em
   ENCAIXOTANDO HELENA, de Sherilyn Fenn e Sands, tudo volta e se segue... é a vida, sorrir;
   Sorrir para a face da morte, em todas as poesias, vidas e sortes... Seguimos, segue-se...

Nenhum comentário: