CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

sábado, 25 de fevereiro de 2012

O BLUES NÃO É DE NINGUÉM. O ROCK NÃO É DE NINGUÉM. PORRA NENHUMA É DE NINGUÉM, AFINAL, SE PRESTAR-SE BEM A ATENÇÃO.


REFERÊNCIAS DAS IMAGENS:

wp.clicrbs.com.br
prigrassmann.blogspot.com
presentesdopassado.mercadoshops.com.br
cidadesaopaulo.olx.com.br
avaxhome.ws
kalamu.com
eil.com


O ROCK NÃO É DE NINGUÉM; O BLUES NÃO É DE NINGUÉM; PORRA NENHUMA É DE NINGUÉM.

O rock se iguala ao amor/ódio em seu todo e ao romantismo (excluída aí a concepção simplória vinda das escolas 'ismos'), considerando-se os quasars de nome amor, liberdade e poesia. O rock está ainda por ser entendido como esses próprios valores. Impossível alguém se apropriar dele, tem loucos que até fogo em igreja colocaram (Europa), com ligação a ideologias que conseguiram colocar uma aliança maldita com o rock.


Bono Vox, não tão afoito quanto Bob Geldof, todos sabem, move uma campanha social com bastante engajamento há décadas. O 'puro' e bom pai do rock, nosso Blues, do qual alguns pensam que (como diria o chefe índio Seatled) podem simplesmente se apoderar, dizer "é nosso" (que merda é essa?) em nome de conhecimentos enciclopédicos (que tem seu valor, mas não dá carta de propriedade) ou por saber copiar (alguns melhorar, reconheça-se, e mais ainda que alguns copiam maravilhosamente) acordes, copiar vários autores genuínos, bandas...  Pois bem, o Blues foi uma fuga, que FUGA, e o que gerou... Uma fuga da brutalidade do grande lobo do homem, o homem (Hobbes).


Blues é ar, e puro é melhor... Mas ar é ar, em toda esfera e circunstância, desde que o oxigênio se libertou (é um resíduo, se não me engano das mal assistidas aulas de biologia no velho Presiddente Vargas de Dourados) para ajudar na criação da Terra.


O Blues é de todos, de ninguém; está em tudo e em todos, mesmo que esse todos não saibam... Quem nunca chorou? Quem nunca se entristeceu? Quem nunca odiou? Quem nunca pensou "O homem é uma besta"? Quando cessarão perguntas como: "Quem é melhor, Beatles ou Rolling Stones?". Um cara aí, da mídia, parece-me, disse que a Adele só grita. Ramones é punk? São os pais do punk? Para mim, por exemplo a maior banda punk, o Clash, não é punk... e aí?


Tá, não sei porra nenhuma de rock... Mas tenho a carta de direito de gostar de rock, de blues, e de falar o que quiser, errar sobre eles, até que um inteligente me mostre o erro ou me convença a novas interpretações das coisas... Ou então, paixão nestes trecos e pronto, gosto não gosto e pronto, mas, portas fechadas ou dorzinha de totó, bem, é coisa de macho? Não sei e isso não me incomoda, e toco no aspecto porque me incomoda essa merda toda de relacionar rock com fálico e beberragem baratos. Se o é, é tudo então, ou nada, e pronto...


o BLUES NÃO É DE NINGUÉM. O ROCK NÃO É DE NINGUÉM. NENHUMA PORRA É DE NINGUÉM (conforme Lautreamont, o rei da desordem frasal)Segue-se, seguimos...

Um comentário:

alessandro fonseca disse...

O PUNK é filho bastardo do rock n'roll, que é filho bastardo do blues, que é... etc etc... é tudo da mesma "família", é tudo ROCKKK! Se tem ATITUDE (autenticidade, arte, coragem...) é rock!!!! Valeu pelo post, Jorjãooo, abrindo as mentes como sempre!!!Abraço grande, força sempre!!!