CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

domingo, 30 de outubro de 2011

APAGÃO CRIATIVO



REFERÊNCIAS DAS IMAGENS

timblindim.wordpress.com
alonsoluciano.blogspot.com
coolguide.com.br
auribertoeternochocalheiro.blogspot.com
falandocomquemquiserouvir.blogspot.com


DIOGO MAINARDI.  Hoje não há mais o mesmo encanto sob a leitura de sua escrita. Mas não diminui minha admiração pelo seu poder de leitura e escrita. Está entre os sujeitos que invejo em determinados aspectos. Já tem uns tempos que não o vejo em TV ou o leio, mas ele me veio à lembrança pelo termo "apagão criativo". Não que me lembre de algo diretamente ligado a ele nesse sentido. Mas lembro de que ele disse que parou de escrever livros porque percebeu um esgotamento de ideias em sua verve. Foi preocupante ler isso. Em se tratando da frieza mainardiana, mais ainda. Não sei se é um farsante, nosso Diogo, isso só ele e Deus sabem; e outros mais íntimos ou argutos em percepção, em menor ou maior nível, podem saber. Seja farsa ou não, há um tipo de frieza e desprezo nele que resultado de peça ou natureza, agrada e no caso da menção ao esgotamento, desconsertou algo de minhas razões. Se ele, Mainardi, esgota-se de ideias, e nós mortais, então? E não é só Mainardi, claro, que toca neste ponto. Tantos artistas já chegaram a absurdos por se sentirem de repente vazios do que faziam. Mario Puzo, em um livro muito desdenhoso sobre o ambiente holywoodiano fala de Hosano (não sei se acerto o nome), um escritor esgotado de ideias... Típico escritor que odiava/amava a primeira ex-esposa, e que matou um poodle branquinho e perfeitinho com as próprias mãos, em um voo... É... é da pesada... E confessou em algum momento, esgotamento total de ideias e ânimo para escrever. Luciano Alonso (artista e professor de artes no Horto Florestal de Campo Grande - MS) tem entre suas telas uma ótima pintura de deboche a isso. Mas eu não tenho apagões criativos, propriamente ditos. Não sou um grande artista. Sou um pequeno escritor, sem obra divulgada, pequeno poeta de prosa, sem um livreto sequer impresso. E como me utilizo do mundo fantasioso, onde qualquer graveto vira um grande castelo e uma formiga vira um grande gladiador, e de uma linguagem de descompromisso gramatical e etcs, não tenho esse problema. Mas tenho o apagão-sumiço. É isso que o mais presente e agudo dos leitores desse blog, notou e expressou. Timblindim pode ser encontrado com busca googliana naquele nome e terão um grande deleite. Ele é ótimo em expressar-se, tem um grande conhecimento de muitas coisas, de literatura e poesia, pra começar. Qualquer coisa que eu fale dele pode injustiçá-lo por não alcançar bem sua altura, então melhor conferir seus dizeres, que facilmente encontrarão sobre seu pseudônimo, que, aliás, carrega uma ótima "justificativa". Ele lamentou meu "apagão-sumiço". E isso me deixou deveras feliz. Mas, sim, esse apagão sumiço é coisa do final de ano, e na realidade meu blog não é nem de longe capaz de tirar de mim uma verve como tem nosso Timblindim. Ele é inquieto no melhor sentido dessa palavra quando ela vem para a literatura. Mas, enfim, é próximo o tempo do final de ano e meu apagão se acentuará. Mas, não sumirei de todo, espero. Pois tenho pessoas muito fortes, muito distintas, de verdade que aparecem por aqui e dão crédito ao pouco escrever que tenho. E a amizade que aos poucos construo com o "Timblindim" é um grande impulso à continuidade, infelizmente em meu ritmo incerto e preguiçoso. Apagão criativo, intermitente, mas não decisivo e perene; estarei às vezes sempre... Enquanto vivo, e quero viver ao menos mais umas duas boas décadas, sem cânceres, tiro de bandido, esses trecos que estupram a vida. Abraço, Timblindim, seu Grande. Obrigado por você brilhar o blog com teus olhos de coração. Que nossa amizade que engatinha Seja e sempre Seja! Valeu!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

O PARAÍSO É PUNK... MAS...


REFERÊNCIAS DAS IMAGENS:

mtv.uol.com.br
pequenosecriativos.blogspot.com
wwwprincesaportugal.blogspot.com
foreverornitorrincos.com
arteosilenecosta.blogspot.com
motimemselvasurbanas.blogspot.com

A IDÉIA DE PARAÍSO ESBARRA EM UMA GRANDE DIFICULDADE DE CONCEITUAÇÃO E ACEITAÇÃO, SE REFLETIRMOS EM UMA CRÍTICA DE SARAMAGO. SARAMAGO, SUSPEITÍSSIMO EM ASSUNTOS CRISTÃOS OU GENERICAMENTE RELIGIOSOS, POR SER ATEU, NÃO É, PORÉM, SUSPEITO EM CASO DA INTELECTIVIDADE FILOSÓFICO-REFLEXIVA. É INTELIGENTÍSSIMO, E SE NÃO PUDERMOS USÁ-LO COMO BASE DE REFLEXÃO PARA ASSUNTOS EM UM BLOG, ANULEMOS O UNIVERSO COM TUDO QUE HÁ NELE.



A DIFICULDADE PROPOSTA POR SARAMAGO É QUE NEM MESMO A INFINITA BONDADE CELESTIAL E A INTENSA POMPA DOS CÉUS PODERIA EVITAR O TÉDIO: “OUVIR HINOS EM GLÓRIA A DEUS ETERNAMENTE, CONTEMPLANDO...”. A CONTEMPLAÇÃO ININTERRUPTA TEM UM NOME TERRÍVEL NA TERRA: “DEPRESSÃO”, OU PIOR “DOENÇA”, ALÉM DE SUBSTANTIVOS E ADJETIVOS PIORES AINDA.


A AVENTURA, POR MENOR QUE SEJA, É QUE MOVE A ESPIRITUALIDADE HUMANA, A MOTIVA. TENTE LEMBRAR-SE DE SEUS OU MOMENTOS ALHEIOS DE GLÓRIA, DE BRILHO, DE TESÃO. CERTAMENTE HAVERÁ GRAUS DE TRANSGRESSÃO. O PRÓPRIO APRENDIZADO É TRANSGRESSÃO, É MUDANÇA. A VINDA À VIDA É UMA BRUTAL MUDANÇA ATESTADO POR CHOROS INTENSOS... SAIR DAQUELA BARRIGA QUENTINHA COM TUDO “À MÃO” PARA A “INSANIDADE” E MAIOR DAS AVENTURAS, QUE CHAMAMOS DE MUNDO.


SEXO. UM PALADINO CRISTÃO DOS MAIORES COTURNOS NO MUNDO DA ESCRITA, INAUGURAL EM UM TIPO DE SENSACIONAL ESCRITA, NÃO SE ESCONDEU DE APONTAR A TRANSGRESSÃO, O BOM HUMOR SURREAL COMO ÓTIMO AO ESPÍRITO E SIMPLESMENTE IMPRIMIU A LOUCURA COMO A MAIOR DAS DÁDIVAS ESPIRITUAIS E NÃO A LUCIDEZ E ORGANIZAÇÃO METÓDICO-REPETITIVA. ERASMO DE ROTERDÃ DÁ OS MAIORES GALÕES POSSÍVEIS À AVENTURA CONSTANTE DA LOUCURA EM SUA VERSÃO NÃO VIOLENTA. A LOUCURA DAS CRIANÇAS AINDA EM UMA COMPREENSÃO COMPLETAMENTE PLÁSTICA E “LIQUEFEITA” SOBRE OS CONCEITOS, COMO A CADUQUICE DE NÓS QUANDO VELHINHOS, COMO EXEMPLO.


SEGURAMENTE O PUNK TRAZ ERROS, ENTRE ELES A PRÓPRIA VIOLÊNCIA, MUITAS VEZES, EM UM FORMATO DISPENSÁVEL. MAS É O PUNK QUE, JUNTO COM O SURREALISMO, SEM DROGAS, SEM PORCARIA SINTÉTICA OU NATURAL, A NÃO SER ÀS VEZES UMA TAÇA VINHAL OU CANECA CERVEJAL, CREIAM, TAMBÉM DISPENSÁVEIS AO SURREALISMO-PUNK, PUNK SURREALISMO SE A VONTADE É PRA VALER, É QUE FICAM DISPONÍVEIS AS VERDADEIRAS “PORTAS DA PERCEPÇÃO”. COMO ATINGIR ALTOS GRAUS DE PERCEPÇÃO SEM INTELIGÊNCIA? BÊBADOS? DROGADOS? NÃO, NÃO MESMO... SEMI-EMBRIAGADOS, SIM... QUANDO A INTELIGÊNCIA AINDA REGE... DROGADOS? DE MÚSICA, DE FROUXIDÃO ÀS RÉDEAS DO PENSAMENTO E SENTIMENTOS... MAS EM SEGURANÇA... NÃO É PRECISO SER TOLO E IMPRUDENTE, NÃO É PRECISO SE ENTREGAR A SATÃ PARA ATINGIR ALTOS NÍVEIS DE LOUCURA... DE LIBERTAÇÃO ESPIRITUAL... O DIVINO ESTAR PODE DAR ESSA EMBRIAGUEZ, O SANTO DOS SANTOS NÃO SÓ PARECE TER BEBIDO VINHO, COMO O MULTIPLICOU E DELE FEZ UM DE SEUS SIGNOS, “ESSE É MEU SANGUE” (REPRESENTAÇÃO).



A ARTE É A MAIOR DAS PROSTITUTAS... É A PIOR-MELHOR DAS GRANDES VADIAS DA VIDA. QUANDO DIGO PROSTITUTA, NÃO A COLOCO SOMENTE NO FEMININO. A SUPREMACIA MASCULINA SÓ SERVE NA LINGUAGEM PARA LEVEMENTE ORGANIZÁ-LA. MAS NA PODEROSA LINGUAGEM ESPIRITUAL, NÃO INDEPENDENTE DO TEXTO COMO NÃO INDEPENDENTE É A ALMA DO CORPO E O CONTRÁRIO, O SEXO SE TORNA NULO DO PONTO DE VISTA GÊNERO... NÃO HÁ SEXO... :o) ... POR ISSO SE DISCUTE TANTO O SEXO DOS ANJOS... ELES NÃO O TÊM, MAS O TÊM... MAS ISSO É PARA OUTRA BLOGADA, CERTO :o). O PARAÍSO É PUNK, O PARAÍSO É SURREAL. SUPREMO, O PODEROSO DOS PODEROSOS, DEUS PERMITIU COISAS QUE, SENDO SUPREMO NO TEMPO E NO ESPAÇO, ONIPRESENTE, PODERIA VETAR OU MODIFICAR IMEDIATAMENTE. PODERIA TRANSFORMAR TUDO EM ROBÓTICA TOLICE, MAS NÃO O FEZ. DEIXOU INCLUSIVE AVANÇAR UM PLANO QUE RESULTOU NA FAMOSA E UM INCONTABILHÃO DE INSUFICIENTEMENTES VEZES EXPLICADA REVOLUÇÃO DE ANJOS, LIDERADA POR AQUELE QUE ANTES ERA O MAIS BRILHANTE DOS ARCHANJOS, LÚCIFER, E QUE ESTE FIZESSE UM GRANDE, EMBORA INFAME PAPEL NA HISTÓRIA CELESTIAL.


NÃO, NÃO MESMO, NÃO DÁ PARA DEIXAR DE ACOMPANHAR SARAMAGO EM SUA COLOCAÇÃO DE QUE É PRECISO ESPERAR MUITO MAIS DE UMA ETERNIDADE LUMINOSA, DE UM PARAÍSO CELESTE, QUE OUVIR REPETITIVAS CORNETAS E COROS ANGELICAIS, INFINITAMENTE, E PASSEAR E SORRIR COMO TOLOS ANIMAIS QUE SÓ PRECISAM DE PASTO E ÁGUA. O ESPÍRITO QUE DETÉM UMA LINGUAGEM COMPLEXA COMO A NOSSA NÃO PODE QUERER MENOS QUE UM PUNK “PERFEITO” (LEMBRANDO QUE SE É PUNK NÃO É PERFEITO), E UMA ORGANIZAÇÃO SURREAL JÁ QUE BRETON E DALI ACENARAM, AINDA INSUFICIENTEMENTE, OS PODERES AO ALCANCE DO HOMEM, ENTENDENDO-SE QUE A ARTE É UMA PROSTITUTA, A MAIS MARAVILHOSA NELAS, NÃO FEMININA, NÃO MASCULINA, PUTA COMO GENI, PUTA QUE NÃO COBRA NO SENTIDO PURAMENTE ARGH... QUE NOME FILHO DA PUTA “CAPITALISTA”... PUTA NO SENTIDO HEDONISTA-DIONISÍACO... UM GRANDE PRAZER, MAS IMPREVISTO...


A MARAVILHOSA E ÚNICA MÚSICA DO NOSSO AMADO “CHICO”, GENIAL “GENI E O ZEPELIN” ESCLARECE ESSA IMPREVISÃO, ESSA IMPOSSIBILIDADE DE CASTRAR O ESPÍRITO LIVRE, POSSIBILIDADE DE APENAS REFREÁ-LO COM O PESO DO REMORSO, CÂNCER DA ALMA... O PUNK É AINDA UMA TITÂNICA, INCALCULÁVEL POSSIBILIDADE, SE O RETIRARMOS DE SUA CONDIÇÃO HISTÓRICA, DE SEU CONFUSO “EXPLICAR-SEQUE LEVAM TOLOS A APENAS CONTORNAR SUAS PORTAS EXTERNAS E CRITICAR RASAMENTE; O MESMO DO SURREALISMO... É NOSSO... MAS É PRECISO “NO FEAR”... E SE HÁ MEDOS, AMEAÇAS, LEIS DRACÔNICAS, MESMICE, MEDIOCRIDADE NO PARAÍSO, QUE PORRA DE PARAÍSO É ESSE?


BLOGADA INSPIRADA EM CONVERSAS COM BIRA DANIELS, VOCALISTA DA STUDIO 89, PROFESSOR  PHD DE AMIZADE E PRESENTEADOR DA OBRA “MATE-ME POR FAVOR – Uma história sem censura do PUNK”.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

ATEU TEÍSTA - PARADOXO POSSÍVEL


REFERÊNCIAS DAS IMAGENS

pjpira.wordpress.com
grupojasf.blogspot.com
jornaldespertar.blogspot.com



SEGUNDO BLOOM, DENTRO DA GENIALIDADE DE SHAKESPEARE ESTÁ A TAREFA IMPOSSÍVEL DE DESCOBRIR QUAL SUA VERDADEIRA SIMPATIA RELIGIOSA... ADMIRO DEMAIS ISSO, UMA PESSOA ESCREVER O TANTO QUE ESCREVEU E SE REVELAR DEFINITIVAMENTE EM TÃO POUCO; MOSTRAR-SE TÃO POUCO... SHAKESPEARE, SHAKESPEARE, SHAKESPEARE... FILHO PODEROSO DE DEUS, ENTRE OS FILHOS TITÃS ESTÁS ENTRE OS DEZ... SHAKESPEARE... TODA EXCLAMAÇÃO ATOSCA-SE PRÓXIMA DE TI...ELIPHAS LEVI, PARADOXALMENTE (TALVEZ NEM TANTO), QUASE ME FEZ SER UM CATÓLICO. MAS AMAR A DEUS DIFICULTA VOCÊ SER UM SOBDOUTRINAS, QUANDO ESSE AMOR A DEUS GANHA PARTICULARIDADES CHEIAS DE INTERROGAÇÕES DE TINTAS VIVAS. ADMIRO QUEM VAI A MISSA EM MUITOS ASPECTOS... A CULTOS (EMBORA,PARA MIM, PELAS NOVA$$$ RELIGIÕE$$$$, UM TANTO EM BAIXA), ENFIM PROCESSA-SE JUNTO A SUA FÉ, EM PARTE SI EM PARTE DOUTRINA...MAS ACHO QUE DEUS TEM TAL RADAR QUE PODE (NÃO QUE SEMPRE DISPENSA), "PODE", EU DISSE, DISPENSAR A INTERMEDIAÇÃO. EM CASOS A INTERMEDIAÇÃO É ÓTIMA... O AUTO-DIDATA SEMPRE SERÁ MELHOR COM A ATENÇÃO DE BONS MESTRES E DOUTORES, CREIO...


Minhas críticas às religiões, pelo contrário,  não são barreiras ou intolerância e sim portas abertas, são convites à discussão, pois, qual o princípio de melhorarmos nós e melhorar a sociedade, se não irmos descobrindo uns nos outros os nossos erros. O princípio do ser humano é o erro para que evolua e, claro, não sou exceção, quem é? Erro até mais que a maioria que me cerca. Gostaria de errar menos, mas não consigo, já que me exponho através do que é talvez nosso primeiro eu, as palavras. Se as palavras não decidissem o mundo, seriamos macacos ao invés de simplesmente ser-lhes irmãos próximos (menos de 5% de potencial intelectivo nos separa). Falar, escrever, discutir, criticar, é preciso. E como isentar um tema? Isentar algo é condená-lo à morte, Sartre, como sempre brilhantemente mostrou isso em seu "O que é a literatura" quando um escritor colaboracionista francês ao Nazismo vai amargamente descobrindo que não há reação a seus dizeres, pois não há nada de bom onde não há liberdade e discussão. Está escrito em meu perfil "gnóstico" (para substituir agnóstico). E acho isso bem próximo do Catolicismo. Mas uma das definições para ateu é irreligioso. Um ateu pode ser teísta (paradoxo possível). Aquele que não se cumpre um pouco em relação aos exercícios missais é ateu, pois "católico frouxo" (termo horrível, mas bem ilustrativo) é "ateu teísta" (repito, paradoxo possível, inclusive segundo alguns léxicógrafos). Mas, sobretudo minha religião é Deus. Confio em um Deus que com suas poderosas mãos organizou o universo e construi um caráter básico para que nosso arbítrio seguisse: "ao menos próximo da metade dos atos, é de nossa vontade, creio; então organizemos os aquiferos correntes e previniremos enchentes" (Machiavelli). Putz, agora o face está bom para quem gosta de prosear, solito, que seja... "Ver mais?", pergunta? E a liberdade age... Oh, Deus... Liberdade e inteligência a nós todos...

QUANDO LI "O GRANDE ARCANO", DE ELIPHAS LEVI, TIVE A NÍTIDA IMPRESSÃO DE UMA FORTE "MILITÂNCIA" CATÓLICA SOB ELE. AO MENOS EM "O GRANDE ARCANO", ENCONTREI O QUE CONSIDERO DE GRANDE SABEDORIA, O QUE É CONFIRMADO POR ALGUÉM QUE RESPEITO MUITO EM PESQUISA E FRANCAS ASSERÇÕES, LUCIANO ALONSO. E GOSTEI DE LER QUE MORREU SERENAMENTE, CONVERSANDO COM "DISCÍPULOS", ENQUANTO ESPERAVA A IMPLACÁVEL E DEMOCRÁTICA "SENHORA"...

Ainda  feriadão... Seguimos, Sigamos, sempiternamente, sigamos... Sem início, sem fim, nós em nós mesmos, cada vez mais inteligentemente tolerantes, benévolos, louvado seja Oh, São Francisco, louvado seja o Meu Senhor, não me deixai fazer papel de carolão, mas instruíeis para que eu não abandone os Encontros Oracionais... Que haja, Senhor, cada vez mais paz... Pois os bons são em si sempre um pouco crianças e pardais...

terça-feira, 4 de outubro de 2011

SONHOS E SEXO... FLORES DE FOGO... VOCÊ E MINHA PELE...




                                             
                                                     REFERÊNCIAS DAS IMAGENS:

mstation.org
letras-profanas.blogspot.com
mashedmusings.wordpress.com
programacinelandia.blogspot.com
nelmezzodelcammim.blogspot.com
fotolog.com
luso-poemas.net
smalllady.spaceblog.com.br
recantodasletras.com.br
olharesaeiou.pt


Um ano antes dos poderosos novos sonhos , o amor em carne, sangue e suor a última vez... Literalmente... E foi fazer amor... Não era sexo, tinha sexo... Alguns anjos, já mulheres, mas ainda anjos, traem seus quereres ou pelo querer do outro entregam-se e entregam, entregam-se ao sexo... Então, acabado o namoro, novos tempos de solidão... dependência de sonhos e suas rainhas...


Ei! Que mal há na masturbação, se é simplesmente fazer amor com quem mais amamos no mundo (George Shaw... ou será Woody Allen...(?)... Um dos dois, certamente...). Para quem conhece as maravilhosas artes da masturbação, saiba-se, compartilho... somos do mesmo clube...


Acordei com a ressaca em seu final; ventilador lamentando seu próprio tempo e indiferença do dono aos óleos nas engrenagens; tlec... tlec, o quarto semi-escuro... umidade no ar mais que morno... um clima estranho, surreal, como se meu quarto estivesse suspenso em uma noite poderosa e silenciosa que pudera elipsar o dia...

Então, meu desejo... Todos os aconteceres sexuais poderiam ser iguais; ainda mais de amor "consigo próprio"... Mas... que beijo é capaz de ser igual?


Sinto desejo de mim mesmo, porque você está tão forte em minha pele, eu consigo imaginar esse teu olhar.... Olhos negros, olhos castanhos escuros? Quero ver de perto... Esse escuro olhar que me percorre com um brilho de estrelas; que vão pousando em mim como se vários "dentes-de-leão"... Plumas leves... resolvidas a me abrasar dançar em minha pele...

Com a liberdade que concedo, passeiam sedentas de cada poro que possa transcender o aroma de meu corpo... Tenho ainda meu próprio perfume impregnado de essências do passeio... Sabe... nunca imaginei que pudesse sentir teus lábios tão reais em mim, são como sempre imaginei... Toque-me, boca na boca, volte, toque-me mais forte...


Olhe-me com esse teu olhar estelar e deixe que esses cabelos negros, acastanhados, perdidos em cores confusas, ajudem a arder em mim as chamas de mil vulcões em fúria sutil e incompreensível...


Sempre penso na exatidão da beleza de tua vagina, sim, pois o rosto não trairia a natureza, posso imaginar perfeitamente a harmonia dos desenhos... e posso... o cheiro de buceta limpa... parentesco de essência de tuas partes mais delicadas, tua carne perfeita, íntima e úmida, exposta, e com um leve perfume de urina que se foi há pouco e deixou marcada de rara intimidade permitida a apenas um,


Só um; mesmo que mil antes, mil depois, a virgindade é apenas a repetição de um momento especial, sentir-se único, único homem e momento; essa magia infernal e paradisíaca, egoística e redentora; só eu em você, só eu posso naquele momento profano e sacro, ferro em fogo no tempo...


E avanço a magia que me embriaga e assim, com a imaginação, me traz tua pele tão perfeitamente; você com teus sorrisos irônicos, traindo as mulheres e os homens, ironia soberana de um saber perdido no que se constrói de Cleópatra. Faz o gosto de um vinho único em minha boca, em minhas narinas... Eu queria falar algo, teu nome, mas o universo inteiro está a ouvir e rege agora este pequeno pedaço de casa, em que, soberana, governas minha alma, meu espírito...


Desde que te vi em primeira vez, em situação tão surreal... Vi "sem poder ver realmente", naquela magia que sabes de teu modo tão único de ver as coisas... e imaginei, e sonhei, que um dia a possuiria, que um dia estaria lenta e fortemente fazendo-a minha, num desses micro-instantes que gritam ao próprio universo o atestado real de sua vida... Em que o pulsar do tempo, esquecido, boquiaberto nos olha...


Não poderia ser diferente... Sou o rei neste instante, "The King of the Kings"; você me faz assim, o Arthur dos Arthures. Meu quarto já não mais me pertence, nada mais é meu a não ser o teu corpo e teu sorriso... Que mais quero? E como as mulheres Mulheres sabem fazer, você traz a lentidão da névoa e orvalhos selvagens e perdidos à dança da naturalidade sexual feminina a mim... entrega-se sem se entregar; faz o que somente a alma feminina pode fazer tão bem; permite...


E avanço... avanço mais...O antes é supremo, a sutileza da dor mentirosa e posse, o "eu poderei", "eu entrarei" pelo pórtico, eu penetrarei e terei...


Me leva a brincar com o maior dos poderes dos sentidos... Meu corpo ensaia a si próprio e a pele rege tudo o que há em mim, em pouco seremos apenas UM. Unos, depois que experimentamos de um o outro em tudo.... Suores... leves dizeres surdos... pesados dizeres absurdos, lentos enganchamentos... Pertences raros, únicos, são concedidos; MINHA! Eu sonhei, eu sonho, eu sonharei; e há e haverá, e se confundirão sonho e realidade, e se confundirão os dias repetindo em solene coro "acontecerá"...


E os dias em que os homens e mulheres saem do reino da simplicidade para se fazerem reis e rainhas uns dos outros e de si nus e amantes, cujo Tempo algum poderá matar, na permissão da vontade de um o outro... Minha pele é você, todo meu corpo é você; vem o poderoso e orgulhoso jorro de vida, de poder...


Sem átimo de vergonha do que me foi dado pelo poder da natureza, a arte de amar você em mim e a mim em você; e em palavras transformar as coisas e as coisas transformar em palavras... Do poder das palavras reconstruir você para mim...


Eu não sei quanto tempo dura a eternidade, talvez um segundo, talvez ela seja ironicamente uma gaveta particular na infinidade cósmica, talvez dure, repito, um segundo ou mais, o suficiente para eu dizer "você é a mulher dos meus sonhos, pertence ao mundo, a outro, a outros, ao inseguro, intempestivo, infiel, efêmero, displicente, esnobe, imprevisível e indiferente Tempo... és livre e linda, mas em um segundo em um dia, você é minha"...