CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

domingo, 19 de junho de 2011

REMINI... PAIXÃO VIOLENTA DISFARÇADA DE AMOR... REMINIC... CIÊNCIAS... REMINISCÊNCIAS... LÁGRIMAS... QUENTES, SILENCIOSAS E TEIMOSAS... SÃO UM TIPO TRANSPARENTE DE SANGUE (SARAMAGO)


Se um decreto fosse mais poderoso que a vontade e falta de vontade dos homens... não haveria mais fome.

 Se a palavra amor fosse tão sincera quanto musiquinhas bobas de uma titânica escolha medíocre para a arte, não haveria um ranking de separações tão evidentemente dissonante com "eu te amo tanto..."

Se a concupiscência fosse apenas um simples problema moral a ser resolvido, Erasmo não a teria evidenciado tão poderosamente, contra uma vontade inútil da parte da maioria dos homens...

Se não precisássemos tão desesperadamente de heróis, a frase acima, sobre concupiscência, seria vazia, mas não é, precisamos de heróis ou não crescemos...

Se essa palavrinha de duas letras, "se", fosse insignificante, o grande trio filosófico grego antigo não teria tanto a ela se atido...

Se o tempo não passasse como passa os jovens poderíam justificar o cinismo tão cada vez mais evidente...

Se Renato Russo e Senna não tivessem morrido tão jovens, a perfeição nas coisas teria atingido tal ponto que a história seria desconcertante para a maioria daqueles que teriam que "confrontá-los..."

Em um segundo essas coisas, de maneira abrupta e sem coordenação alguma, bombardearam minha mente e meu coração lembrou que eu contei: "Estávamos agarrados a touceiras de capim, nos arrastando para cima, grudados naquele morro que certamente mataria os descuidados, então passei a brincar com aquilo... E teu olhar me fez entender o que U2 diz... 'vejo a pedra em teu olhar...' Pior, eu percebi a frase não dita: "e porque não morreu? Teria facilitado as coisas...".  Recebi uma ligação e meu coração passou de cinzas a incêndio, era você perguntando se eu iria para jantar... Respondi alegre, muito feliz, que não... mas que estava muito feliz por você ter cogitado minha ida... Mal sabia que querias a confirmação de minha ausência para os fins que sempre existiram e existirão quando fracassar o amor... Lembrei o quanto me achavam generoso, forte, corajoso, hábil em lidar contra o poder da adversidade... e o quanto fui fraco contra uma verdade óbvia e irrefreável... Admiraram quando meus poderes físicos prevaleceram tão facilmente contra o inimigo, mas ninguém poderia ver que meu espírito havia sucumbido e eu me encolheria em mim mesmo por séculos em anos... Lembrei que o mesmo que denunciou a perfídia e provocou tal caos que pouco sobraria de mim, deste mesmo pouco me fez reconstruir-se em um ser melhor... Lembrei do que é essencial não esquecer, que de alguma forma misteriosa os caminhos não são apenas de nosso arbítrio, e que se nosso espírito inclina-se ao lado bom das forças dos mundos, na vida, dificilmente não nos levantaremos mais fortes do que caímos... Eu sou o espectro de Máximus, um dos bilhões deles... Nada tenho de muito especial a não ser isso, mas foi isso que fez a diferença, lutar quando tudo parecia perdido... Amo a Deus, amo meu Filho, Minha Mãe e Meu Irmão, a Vida, e vou aproveitar cada vez mais esse grande outono, antes que venha em algum instante o decreto do Inverno Final...

Nenhum comentário: