CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

terça-feira, 10 de maio de 2011

A LOUCURA É A MOEDA DO ESPÍRITO HUMANO



REFERÊNCIAS DAS IMAGENS:

compartilhandoecriandoinformação.blogspot.com
1lindomenino.blogspot.com
utopiacapital.blogspot.com
veja.abril.com.br
blog.teophilo.info
meme.yahoo.com


  Por mais livros que lemos, por mais filmes ou telas que observamos, por mais músicas com as quais nos deleitamos, mesmo os mais dados a "atualizar-se", parece que nos inclinamos a ter objetos culturais ou artísticos com mais poder de baliza que os outros, sempre, e entre os vários impulsos para isso, como a facilidade memorial, parecemos descobrir vínculos mais poderosos que a lógica possa alcançar e explicar. Além de eu ter na pessoa de Harold Bloom e seus objetos literários, do Ubiratan (roqueiro campo-grandense) e suas análises objetivas mas sensíveis, minhas recorríveis balizas, são para mim parâmetros indesviáveis, escritores que conheci sem porquê nem ir atrás. Como Erasmo de Roterdã, meu e de milhares de gentes leitoras, pois conseguiu, mesmo aliançado à Igreja, dizer livremente algumas coisas, embora muitas tenha deixado, em momentos, facilmente decodificáveis, em outros carregadas de maior exigência de análise. Seu marcante livro  trata da loucura como um instrumento da natureza para aliviar a grande carga psicológica que nos impõe a vida. Ele separa a demência maldosa da doce loucura que exemplifica, por exemplo, na caduquice dos bons velhinhos a nos divertir com suas toladas, ou da inocência das crianças com suas proposições liquefeitas e "fora de propósito e contexto", perdoa "a fúria uterina" das velhas mulheres do mundo, que só querem loucamente entreter-se com os jovens, eles todos livres de amarras sociais formais. O livro de Erasmo, carregado de constante bom humor, traz uma crítica feroz ao cinismo, tipo o cinismo que temos visto na nova versão, na versão light da velha proposta de "nós somos os bonzinhos do povo, nós vamos conseguir igualdade para todos...". Excluamos aqui de acusação de cinismos os muitos que de fato imbuem-se de caráter fraterno e edificam efetivas melhorias, e que o fariam em qualquer circunstância ou sob qualquer partido. Sabe, parece que o Stalinismo é uma coisa que não existiu, parece que Cuba deu certo, tudo vermelhinho, tudo bonitinho, parece que Genoíno, Delúbio, são mesmo heróis. E o pior, parece que o cinismo é mesmo uma moeda infernal, que vai vingar, vai vencer... A Justiça precisa de provas... Estudem um pouco de direito, focando-se na história do que se convém chamar de "provas"... Verão o quando a velhacaria se serve das frinchas, obrigatórias ou apodrecidamente sintéticas. A História, quando o mais isenta possível, é a única tênue esperança de haver um juizo final científico. Confiando em Spielberg, que na arte se serve tão generosamente das propostas científicas, vemos, de repente, numa loucura ainda maior que a proposta por Erasmo, um sujeito despertando... lentamente... Se situando... Acordando de um sono secular... Aos poucos, não sem um pouco de terror compreende parcialmente a situação, mas com a certeza de que se trata de um pesadelo... Então um sujeito que parece um promotor, diz, com um sorriso sereno: "Pensou que ia se safar?"... Terá que ser julgado, meu caro, você é um vilão histórico, que se safou pelas circunstâncias daquele presente (sim, você está quase mil anos a frente daquele tempo, "companheiro", das cuecas endinheiradas, dos dinheiros obscuros das igrejas, das camionetes mal explicadas, aqui o sistema é diferente... Este é o templo da verdade, é uma confirmação da vitória da Utopia, da qual estiveram tão cinicamente bebendo e cuspindo nos tolos). E o cara grita tentando acordar... E não acorda... Ele percebe com a inteligência que é dada aos espertalhões de grande coturno, que está finalmente capturado, que será julgado sem torsões linguísticas, sem operações meramente servidas por frinchas obrigatórias às instalações democráticas. Finalmente entende o que é ser duro sem perder a ternura, que nem mesmo o inventor da frase poderia revelar dela toda a profundidade. Sem perder a ternura, o promotor futurístico lhe enterra até os bagos, e diz: psiu!... você desviou dinheiro de remédios, de tantas coisas que poderiam ser feitas... psiu, fique quietinho, vai demorar só mil anos... Você é bagrinho... Tem gente muito mais encrencada que você por aqui... ah, me dê essa medalha aí, aqui ela não vale nada... Também não valem nada os dólares, essa é uma sociedade que você vai demorar um pouco para compreender, com as noções que tens do teu tempo e terra tão flexíveis com a espertalheza (é, essa palavra é aceita neste tempo futuro). Mas, voltando para a realidade... A frase mais estranha da semana: "vida de Ronaldinho Gaúcho 'fora de campo' preocupa o Flamengo". De novo Baudelaire, mil vezes Baudelaire: "o melhor truque do diabo é fazer com que pensem que não existe". A loucura, conforme aponta Erasmo, é a moeda mais valiosa do espírito humano, claro, excessos bacanianos ou mesmo dionisíacos, extrapolam e prejudicam a instalação da revolução surreal-punk, mas ela é a saída, é o alívio para o fardo que temos de carregar e seria tolice simplesmente polyannizar as coisas... O cinismo está próximo dos píncaros, e qual a saída? Duas loucuras, uma, a tão criticada por Sartre e agudamente vista por Calvino "agregar-se aos demônios e fazer de conta que está tudo bem..." A outra é instalar uma revolução inteligente, sem sangue, numa coisa que o estudante da carceraria americana, o poderoso Alecxis, justificou como origem do grande poder de uma nação: "A JUSTIÇA VERDADEIRA".

5 comentários:

Juliano disse...

Muito bacana suas reflexões, amigo, altamente literárias e políticas! Abçs.

Valdir disse...

Não daria para você acrescentar, nas possibilidades de comentários, NOME - URL? Ou mesmo ANôNIMO As opções atuais são muito trabalhosas, e às vezes não dão certo (perdi todo um elaborado comentário sobre o falso gênio Manoel de Barros)...

Dante Sempiterno - ( dantesempiterno@hotmail.com ) disse...

Na verdade eu não sabia de tal ocorrência. Vou verificar, pois lamentei profundamente, principalmente porque adoraria ler o comentário, e, além disso, sei como isso funciona, pois já perdi também, coisas assim. Sou um tanto leigo em internet, mas tentarei dar jeito, ou procurar quem o faça, pois é muito importante contar com comentários, principalmente de quem tem senso crítico.

Valdir DM disse...

Dante.

Concordo com as suas colocações. Discordo apenas da vitória spielbergiana da Justiça e da História. Nas décadas da "guerra fria" só a União Soviética (tida como encarnação do Demônio) falsificava a História, fazendo personagens não-gratos desaparecerem de fotos oficiais. Mas a Internet (por enquanto, e por descuido) nos mostra que o pessoal aqui do Ocidente se vale das mesmas artimanhas carimbadas de "comunistas". Querem, por exemplo, abolir o papel, transportando tudo para os bits e bytes das memórias magnéticas. Depois, para apagar opiniões, descrições e fatos dissidentes (sim, atualmente há fatos que teimam em contrariar o establishment!), é só dar um delete nos computadores centrais (google, wordpress, blogspot, etc). E só ficará, na História, a versão dos Vencedores (mas não os Melhores, como acreditam quase todos).

A bandidagem dos "iluminados" continuará, no futuro. Mas, espero, os "loucos" sempre acharão o seu espaço, e serão relativamente felizes (o que é a pior das heresias para os Donos do Poder).

Dante Sempiterno - ( dantesempiterno@hotmail.com ) disse...

Há tempos aguardava comentários aplicados e de alta qualidade naquilo que toco apenas superficialmente; pois entendo que isso é que oferecerá a quem por algum motivo venha a deparar com o blog e suas escritas, deleite proveitoso. Estou bastante feliz e animado com sua chegada, percebo que aprenderei, com suas agudas e conscientementes críticas palavras!