CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

terça-feira, 14 de setembro de 2010

MINHA CASA








REFERÊNCIAS DAS IMAGENS:
youtube.com.br
transitivoedireto.blogspot.com
feanonima.blogspot.com
ritawafu.blogspot.com
Esta é minha casa; onde meu corpo será o próximo de uma infinita lista onde um dia se chamou Jorge ao que apelidei Dante. Lembro-me que em infância meus olhos se voltavam para as estrelas noturnas e eu perguntava porque tão estranhas e desequilibradas são as linhas escritas pelo Destino e pelos homens que governam... Não tínhamos TV e o contrário disto era meu maior sonho; eu queria ver Daniel Bone. Esta é minha casa; onde sou apenas luz e todas as minhas lágrimas doces ou amargas, são também luz, onde tudo que me cerca é paz e luminosidade e posso refletir o quanto é importante a luta, o gládio de mudar o próprio destino. A auto-ajuda é uma idiotice quando escrita por espertalhões explora-tolos de pouca leitura; mas dá certo porque é verdade, somos todos tão sozinhos e tão carentes de nós próprios e dos outros que nos ladeiam ou olham perplexos ou de mão estendida. Esta é minha casa, nela não me ferem, não agridem minha liberdade e quereres, meus pequenos esforços e escolhas não justificáveis. Esta é minha casa e se sou um rato estou salvo do gato, se gato salvo do cão, do leão ovelha estou salvo e como leão não desejo nada mais que a paz e esperar um novo corpo e o recomeço. Não sou espírita, nem islâmico, nem ateu ou cristão; sou inquieto o suficiente e tudo para mim é uma questão; pode virar literatura? Se pode, é do meu mundo antigo, novo e de todos aqueles que virão. Esta é minha casa, onde construo todos os sonhos que me farão um homem que sorri e crê que a poesia é em qualquer caso uma salvação. Nesta casa meu governo constrói, restaura e concede, e todos os que me visitam estão em luz, são estrelas que esperam como eu, o renascer e as novas lutas das eternas estações. No meio das estrelas agradeço; foi bom estender a mão, tentar ser o próximo ao escutar "concede-me o pão"; acreditar que um projeto pode salvar o mundo e recolocá-lo na mão; foi bom acreditar na saliva doce do beijo e dizer, eu te amarei para sempre e jamais te direi "não"; eu colhi frutos brilhosos, vermelhos, amarelos, suculentos, bem aqui na minha mão, eram de um jardim onde tudo se podia colher e tudo era dividido e multiplicado e o prazer maior que qualquer outro era compartilhar sem lógica ou razão... Esta é minha casa, que mostra a vitória de lutar contra meu próprio caráter e vontade de abater a filha rebelde da boa razão... Olhei as infinitas aves em um balé perfeito e calmo, e os peixes alcançando um show de cores e brilhos nas águas em um passeio autorizado à grande mansão... voltei convicto de que acertei em não vacilar e escolher o campeão Amor contra o Ódio, pois nele investe-se o poder do Rei dos Quasares, aquele que mora soberano na Grande Mansão... Esta é minha casa, estou pronto, daqui a pouco estarei no planeta 438, nascerei o que escolhi mas não saberei de nada a não ser um guia chamado instinto em sua feroz luta contra a razão; dentro de minha alma levarei minha própria aposta de vencer os próprios males e lutar ao lado da proposta da vida, ditada pelo dono da Mansão... (Dante Sempiterno - agnóstico; porque assim deveria ser).

Um comentário:

Lídia de Brito disse...

Em sua casa se faz presente tudo aquilo que mora dentro de vc...E lá nesse lugar onde vc pode ser vc sem se importar se está sujo ou não...a razão se faz desperta,porém ela não é absoluta...nem indispensavel para a vida ne, fazer...