CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

quinta-feira, 1 de julho de 2010

OS PESADELOS DEVEM SER APENAS PESADELOS









REFERÊNCIAS (IMAGENS):
yogaibirapuera.com.br
www2.mre.gov.br
brunobrasil.wordpress.com
planetin.blogspot.com
reticenciaspoeticas.blogspot.com

Um pesadelo, se explicado psicologicamente, torna-se coisa simples, e talvez logo é saudavelmente 'esquecido'. Mas, se a abordagem ao mau sonho é mística, e ele, pior ainda, é visto como um presságio (podendo inclusive ser positivo, coisa mais rara) torna-se um incômodo nas reflexões e ações.

Os momentos em que duvidei da existência de Deus, quero que não voltem... É sempre difícil falar nisso, mas é preciso, às vezes... Pois é determinante em tudo. Meu Deus é "silencioso como as estrelas"... Invariavelmente em minha essência agnóstica teísta, oro pedindo em primeiro lugar perdão e proteção, àqueles que amo, incluindo a mim, peço que visite-me as coisas boas da alma e dê-me condições de prosseguir nesse teste que confesso é maravilhoso e insano, a vida... Como definir essa sensação positiva? Conforto? Segurança? Esperança? É um ser, uma substância difícil de definir, a fé, a crença. Para ser honesto, mesmo um pouco temeroso, sou obrigado a admitir que não tenho a fé que gostaria de ter. E, às vezes, penso que jamais a terei, aliás, é uma espécie de "certeza trêmula".

A sutileza difere os homens, e nos artistas essa condição, como tantas outras, ganha proporções muito maiores... O artista é exigido em várias instâncias e por várias instituições, inclusive sua própria; de várias maneiras é chamado a responder, ou mesmo a perguntar, e ele não tem a obrigação de se expor em raios de loucura. Seguramente a severidade e brutalidade contra o artista na maioria das vezes vem porque seu veio crítico atinge interesses materiais, acima de tudo, pois ideologia pura, se não é amor é demência e se não é nenhum desses dois que guarda a minoria, é interesse material disfarçado de ovelha. Protegeis a vós próprios, artistas, entre todos os tempos, e neste presente também, porque nada é seguro o suficiente...

Nenhum comentário: