CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

quinta-feira, 29 de abril de 2010

LETTERMAN & RUNNER RUNNER






REFERÊNCIAS (IMAGENS):
memoriasdeumperdedor.blogspot.com
editionsballard.wordpress.com
last.fm
joyerickson.wordpress.com
Qual Letterman? Que Runner Runner? Que punk?
Assim como o surrealismo, o punk não só é pano para manga, como muitas vezes não se sabe direito quem está do lado do pano e quem está do lado da manga; e muitas outras nem se sabe que pano é esse, que manga é essa. Isso faz, talvez, a maravilha de ambos. Não se saber nunca com segurança o que é o punk e o que é o surrealismo, os protege da onda diabólica de uma mesmice imensurável que atinge a arte, principalmente na música. Mas, eis a manchete de um site: "Estrela dos talk-shows americanos lança gravadora" (http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/musica/2010/04/28/247066-estrela-dos-talk-shows-americanos-lança-gravadora). Trata-se, como observa o jornalista que tece a matéria, Letterman, não somente de um notável profissional, de inquestionável capacidade naquilo que faz, mas de alguém que inclusive influenciou nada menos que o grande Jô Soares. Aí vem a estranheza diabólica capaz de vir somente através do punk ou surrealismo, quem é Letterman, mesmo? Pois, de repente (crendo-se na 'direção' da notícia) ele empreende em gravadora, e na estréia pega uma banda punk. Aí vem, quem é o Runner Runner? Embora muitos usem nomes de banda para patetices, esculachos, sem imaginar o significado principal da função nominativa, desde o fantástico Ridleyscottiano "Blade Runner", entendo esse runner como uma eterna, sempiterna, profunda, fantástica estrada de escape, de saída, e não uma trilhazinha utilitária, banal... Mas, entusiasmado, pois gosto muito de Letterman e isso não diminuiu, fui conferir a banda, e verificar a tradução das músicas. Nossa! O mesmo lírico surradíssimo (e aqui surradíssimo sai muito, mas muito barato) de "ela, eu", presente no oceano que engole todas as chances de a música (já que passou das arpas e cornetas para letras) oferecer a poesia com um mínimo daquele sinalzinho que consagrou Sócrates, aquele ponto, o ponto de interrogação... Estética? Bem, para mim, que acho feias e insonsas algumas incensadas e insensatas vestidoras de peles e namoradoras e casamenteiras fashion e ocasionais, há dificuldades em resolver a distância entre o que sinto sinceramente sobre o que seja a beleza artística e os padrões aceitáveis entre crítica e gosto popular. Mas enfim, o Punk é generoso, o Surreal é generoso, que venham todos, que fiquem todos, pois os arredores daquilo que delimitamos como "núcleo punk", vão bem além dos quasares... Deixe estar, deixe ficar, mas... Puxa, que torço para que Jô não faça o mesmo, isso, torço... Caramba, do que menos precisamos neste momento é de cópias sobrepujarem a possibilidade de influência, "roubar" e imitar, na arte, quando se toca de nomes titânicos, quase divinos, como Letterman, deve ser muito mais que uma ação quase patética. "Roubar e imitar" é quase uma lei inescapável na arte, isso parece definitivamente provado... Mas, o mercantilismo artístico pode ser mais sério do que propõe a deusa Moeda, nas já muito parcas chances do homem de não se robotizar irremediavelmente... "Deus salve a rainha, e o Punk também..."

segunda-feira, 26 de abril de 2010

AS TEMPESTADES






FONTE (IMAGENS):
mazinhobrasil.wordpress.com
palavramulher.blogspot.com
blairponjinha.blogspot.com
theherocomplex.tumblr.com
Elas combinam com o silêncio, isso é estranho, e assim as amo... Já tive menos temor ainda das tempestades e saia descalço, ruas afora, desafiando o perigo... Olhava para o céu, para os raios... Sempre detestei o calor, e gosto da sensação da água fria passeando em minha pele, procuro senti-la, imaginá-la entrando solo adentro, pelas gramas sorridentes... Eu nunca vi roseiras sob as tempestades leves, gostaria de ver minhas rosas preferidas, amarelas-vivo, em luta com o vento, fazendo de tudo para segurar as pétalas ainda jovens... Eu já estive, em momentos de ausência da prudência, tempos adolescentes, em um bosque fantástico, perfeito, matas altas e gramados, durante chuvas e raios... Salvaram parte dele e hoje é um parqueEntre o medo e o fascínio, eu conseguia sintonizar com o Mestre das forças naturais, na única forma que consegui até hoje, sim, sem jamais... Talvez mais algo como um misto de imaginação e intuição... Em determinados momentos o medo era total ausência, vinha apenas um intenso prazer, como se fizesse casto amor com as árvores verdes e úmidas, como se pudesse beijar na boca de abelhas irreais que venciam a tempestade para banho de chuva... O real e irreal se fundia em meu ser eternamento imaginativo... Mas o melhor era quando sumia tudo e a realidade era tão pura que assustava... a água, fria, os raios, o barulho e os clarões... O meu amor por mim próprio tem sua melhor face nesses momentos de tempestade... quando sinto certeza do retorno a algo do qual só vim para um sacrifício que parece cada vez mais inútil... Salvo apenas por Dionísio e pela mais brilhosa das pérolas humanas, o amor a um alguém... Rocío, ó Rocío de águas finas e de olhos lunares e solares... Mas a tempestade gritava, cantava naquela tarde insólita sua solidão para mim... Não havia casas, os bichos tinham fugido todos, o verde e o cinza-branco brilhoso reinavam em franco amor em toda a minha volta... Aos poucos acalmava-se tudo... a tarde dizia, "volte menino", e eu carreguei meu prêmio, somente eu e o Senhor dos Senhores estivemos naquela tempestade, em uma amizade a qual todos tem acesso... sem dízimos... :o)... Ontem conversei com a Thaís, ela é fantástica, parece fumaça mágica, ela disse que minha espanhola é linda! E me deu a url do blog dela: www.naomebeliscaqueeutosonhando.blogspot.com . Gostaria muito que ela se envolvesse com escrita e fotografias, ela tem muito potencial, é direta, seca, e independente... Gosto muito dessa menina, sempre gostei... genuína, forte, grande!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

VIGIAI VOSSA IRA







REFERÊNCIAS (IMAGENS):


historianovest.blogspot.com
observatorio-luciano.spaceblog.com.br
deusilusão.wordpress.com
gatocomvertigens.blogs.sapo.com
kheops.blog.terra.com.br

Entendam, por favor, sempre, que isto aqui é um blog. Ou seja, observando que linguisticamente o gênero implica grande importância nas escolhas de operação sobre o conteúdo, o blog é um gênero carregado de bastante liberdade. Obviamente a liberdade da internet, como muitas outras, é confusa para alguns. Quanto a isso, note-se que a alguns dias no UOL se noticiou o engano desastroso que alguns cometem ao imaginar que executivos não leem twitters (frases desastradas, nestes, custaram empregos e embaraços, caso do "Lulinha" que zombou pesadamente de torcedores rivais ao seu time). Enfim, o blog tem uma liberdade "racional" e "relativa". Então, o que quero dizer é que não faço rigorosa pesquisa e não realizo também rigorosa vigia ortográfica, sintática e enfins da língua. Espero que todos sempre me entendam na maior parte do que digo, e só. E procuro não ofender pessoalmente alguém ou instituições, em forma injusta. Bom... Vigiai vossa ira, é o que afirmei no título. Na verdade devemos vigiar tudo o que fazemos; se nos conduzirmos pela frase montaigniana de que o mais importante é viver, logicamente essa vigia deve ser inteligente o suficiente para que não se torne tirânica. Mas, a ira é destruidora demais, e é a mais perigosa serpente espiritual de nossas atitudes junto a quem amamos. Logicamente há indisciplina ou doenças de origens psicológicas, psiconeurais ou outras na origem disto, ou até mesmo algo que pode "desenganar" os observadores médicos. Um consultor em psiquiatria em Harvard, que escreveu "Cérebro, um guia para o usuário" aborda a questão de que estamos muito aquém de perceber a gravidade de nossa própria ignorância em lidar com as pessoas, pois na realidade uma maioria esmagadora da sociedade é possuidora do que ele chama de "Síndromes Silenciosas", que inclusive dá título a outro livro dele. Pois bem, com base nele, em outros, e em experiências onde fui observador ou até vivente, lembro que é bom vigiar principalmente nossa capacidade de ira... Não somos, com certeza, a maioria, como Ivan, o monarca russo que matou o próprio filho em um momento de dramática discussão... Não, mas com certeza a frase "somos todos irmãos..." tem muito mais a oferecer que patéticas colocações... Ivan, é nosso "irmão", está em nós... Pense... "Não à fúria".

sexta-feira, 2 de abril de 2010

O QUE DIZEM OS GRANDES! ( ; ) E MINHA MÃE! ( ; ) E EU!







REFERÊNCIAS (IMAGENS):
professorneemias.com.br
simplesmentebeijaflor.com
filmreference.com
movimentoculturalgaia.wordpress.com
antigravidade.wordpress.com

NIETSCHE: "QUE TUDO É UM ETERNO RETORNO" (NÃÃÃÃÃOOOO!); CONAM: "NADA É MAIS PODEROSO QUE O AÇO DE UMA ESPADA" (DEVEMOS DAR UM DESCONTO, AMBIENTA-SE O BOMBADO HERÓI ONDE NICOLAS CAGE NÃO ANDAVA COM SEUS CONTRABANDOS. JESUS: "PERDOAI-OS, NÃO SABEM O QUE FAZEM..." (OH, DEUS, QUANDO SABEREMOS O QUE FAZER?); HITLER "VOU CONQUISTAR O MUNDO" (AO QUE RESPONDERAM CHURCHIL, ROOSEVELT E STÁLIN: "NÃO VAI NÃO..."); SAINT-EXUPERY: "ÉS ETERNAMENTE RESPONSÁVEL POR AQUILO QUE CATIVAS" (SABE, ISSO DE ETERNIDADE ME PARECE IR MUITO MAIS A UM PERÍODO MÁGICO DE ROMANCE, OU A CASTIGO, SE LEVARMOS A SÉRIO); SHAKESPEARE: "SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO" (MAS ELE É SHAKESPEARE, PODE DIZER O QUE QUISER); MACHADO DE ASSIS: "DEDICO ESTE LIVRO AO PRIMEIRO VERME QUE ME ROER A CARNE DEFUNTA" (PARA MACHADO VALE O MESMO QUE PARA SHAKESPEARE). "ALGO SOBRE O CORÍNTHIANS OU SALVAR O MUNDO..." (LULA, O PRESIDENTE, ANTES DE MOSTRAR PORQUE SEU APELIDO É LULA); "UMA CARTA PODE MUDAR, MUITAS VEZES, SITUAÇÕES HISTÓRICAS ABSURDAS" (VOLTAIRE, NOS TEMPOS EM QUE NÃO HAVIA SPAMS NEM AMIGOS QUE MANDAM MENSAGENS ESCRITAS "ESSA É ÓTIMA, ESSA VALE A PENA, VOCÊ TEM QUE LER", SOBRE SITUAÇÕES MEDÍOCRES, ALARMISTAS OU HUMOR DUVIDOSO); HAROLD BLOOM "SHAKESPEARE É O MELHOR" (E DEPOIS DE DIZER UMA PRIMEIRA VEZ, REPETE SEM PARAR, ETERNAMENTE, ESSA FRASE); "ALGO SOBRE O LULA" (MAINARDI, FAZENDO O MESMO QUE BLOOM); "QUE MERDA!" (UM ILUSTRE PALMEIRENSE, EM 2009/INÍCIO DE 2010; "ESTÁ NA HORA DE VOCÊ PARAR COM LITERATURA E PROJETOS PRÓPRIOS E ARRUMAR UM BOM EMPREGO OU PASSAR EM ALGUM CONCURSO" (MINHA MÃE, COM RAZÃO); "ME DEI DOIS ANOS DE PRAZO, ANTES DE JOGAR A TOALHA" (EU, PARA MINHA MÃE, LEMBRANDO QUE MARIO PUZO FEZ MAIS OU MENOS ISSO E CONSEGUIU, E ESCREVO MELHOR QUE MARIO PUZO, E SOU MAIS MODESTO QUE ELE). E FINALMENTE, A FRASE DE JÓ: "POR QUE FEZ ISSO COMIGO? PARA MOSTRAR O QUE PARA QUEM? (JACK MILES LEMBRANDO A ESTRANHEZA DA JUSTIFICATIVA DIVINA PARA O QUE SE IMPÔS AO EXEMPLAR SERVO).