CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

terça-feira, 1 de abril de 2008

TRISTE BBB... 1984, 1984, 1984... OH 1984... QUE FILHO GERASTE...





Gosto de pensar que uma distinção que tenho dos animais comuns, é o de poder mudar de opinião. Afinal, leões, macacos, jabutis, baleias e outros, só podem mudar de direção, ou verem suas direções mudadas. Sendo assim, com esse "green card", que pode me inocentar uma opinião, no futuro, é que posso talvez dizer que a única verdadeira contribuição do BBB, foi mostrar a desimportância e má qualidade dos atores da maioria de nossas novelas. Eu poderia simplesmente dizer "o BBB é uma bosta", mas não é bem assim, deve prestar para alguma coisa, sei lá... para o que, por exemplo... hmmm, gerar opiniões inúteis como a minha? ... Que mais... para ajudar a difundir vírus de Orkut? hmmm, que mais, disfarçar a falta de assuntos intelectivos... ? "Vencer a si próprio", dizia Sartre, é o maior desafio. Original e encaixada em divagações mais complexas em Sartre, porém, essa frase é comum na boca e pena oportunista da gentalha que escreve auto-ajuda. Digo "gentalha", não em tom fortemente ofensivo. Para mim, gentalha é como a "gentalha" do Chavez, gente boa, até, mas que não me causa senão risos e uma ou outra entortadinha "significativa" da boca, por mais temática que seja a escrita. E Chaves e os seus são muito bons no que fazem, dão de lavada na turma de escrita auto-ajuda, principalmente nos 'pops'. Sabemos exatamente o que dirão "Isso, isso, isso". Mas, na pena do grande Sartre, fracassado e vitorioso, visível e esquivo, isso é o cerne do propósito divino... Vencer a si próprio... Jesus, com outras palavras também disse tal coisa... mas, entre Jesus e Sartre, fico com Jesus na intimidade, e com Sartre no aberto... Esse negócio de religião traz, em dias de ignorância moderna, mais besteira e ódio que amor... "Vencer a si próprio", vencer as fissuras e abismos entre as palavras e seus significados... Isso, isso, isso... Às vezes a oeste, às vezes a leste. Às vezes ao sul, às vezes ao norte... Não te esqueça, oh Jorge, oh Dante, que assim são as coisas... e que os ventos não te distinguem e muito menos as tempestades do destino. Abre sempre a mão e leia tu mesmo o teu destino, sem enganar-te pelas linhas tortas ou pior, pelas linhas direitas... Dante Sempiterno, queres ter o dom da poesia, continue sangrando a solidão, queres a glória enganosa da Literatura? Não persiga o rabo e cuida de não temer o tempo... Celebre, como recomendou Rilke, enquanto isso, amarra-te contra o mais maldito dos espelhos, a verdade!!! E choras, e celebres... E erres, e não tema o erro e a bobice, e alcançarás o cume... Acreditou?... Então continue sempiterno, Dante Sempiterno.

Nenhum comentário: