CAMPO DOS GUAICURUS

CAMPO DOS GUAICURUS

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

COINCIDÊNCIA, A BATALHA POR DERIAH

CLIQUE NA IMAGEM E PODERÁ LER MELHOR.

Foi de arrepiar o que vou relatar após o preâmbulo. Para mim, é claro, e para todos que consigam captar a importância da coisa. Para mim, antes de tudo, porque apesar de esse blog ser um diário aberto e "átrio" de exercício textual para a busca em ser um escritor forte, é um diário.
Férias, e apesar de estar vivendo uma miserável fase financeira, me dei ao luxo de surrupiar umas moedas do essencial e transferi-las para o caixa da vídeo locadora “do Cunha”. Lançamentos a quatro paus (me desculpe Emerson, a Hélios é excelente, mas tenho vivido dias duros) e ainda um brinde cá outro lá, por parte. Já ganhei duas pipocas de microondas, falta-me apenas o microondas... Mas não ganhei apenas pipocas, ganhei um “não lançamento” através do sobrinho do Cunha. À sugestão dele e à brinde, peguei o “Escrito nas estrelas”, o ator é o já envelhecido (para papel de mocinho de romance), mas ainda ótimo, John Cusack e a Kate Beckinsale (aquela de filmes de lobos e vampiros, aquela delícia). O filme é legal, gostei... É daqueles açucarados e bobinhos, mas gostosinhos. O tema é massacradíssimo “há destino nos encontros e nos ‘foram felizes para sempre’ amorosos?” No final dei meia dúzia de merecidas “lágrimas de filmes” ao dito cujo. Ele deitado na neve (para mim o filme acaba ali) e cai a outra luva no seu rosto (querem saber a história da luva? assistam o filme). Depois da “sessão da tarde particular”, saí pra rua jogar passos, balançando com esse negócio de destino e tal... E fiquei com minhas idéias antigas sobre destino, baseadas em Maquiavel que diz: “certamente mais de metade de nossas ações são ditadas pela implacabilidade da natureza, mas Deus nos dá o arbítrio de certa parte”. Temos que nos conformar quando olhamos no espelho e não vemos Gianecchini ou Bundchen, quando vemos que não somos fortes o suficiente para seduzir quem queremos ou reconquistá-los; ou pôr, enfim, príncipes e princesas de contas bancárias respeitáveis, hálito de canela e sono sem ruídos, ao nosso lado. Mas devemos, pela obrigação de termos um cérebro à nossa disposição, batalhar pelo melhor que possa e dar mão ao destino e inclinações iniciais. Qualquer livro vagabundo de auto-ajuda diz essas coisas, a poderosíssima Bíblia e não menos poderosa (sentido literário) obra de Shakespeare também o dizem, estamos cercados por “faça teu destino, no máximo que puder”. Quero ser um ótimo escritor e vou empregar todas as forças nisso... E era nisso que pensava, destino e perseverança, à tarde toda. E no final dela e início da noite fui bisbilhotar o Orkut e andei olhando o Orkut de amigos do meu filho (coisa de pai), e que surpresa fantástica tive. Um de seus amigos, inteligente (facilmente demonstrável: “TV é um item supérfluo. Ao menos para mim.” Com certeza se referindo ao canal aberto) lista como livro que leu “A Batalha de Deriah”. Puxa, foi emocionante... Fiquei realmente emocionado, muito feliz. Parece-me ter sido um “sinal do destino” dizendo “continue, perseveras, estás no caminho certo...”. E para não dizerem que não dei os créditos do clube dos esotéricos, o sujeito é da região de Dourados e Nioaque, justamente localidades que inspiraram a feitura do livro, pode? Bem, ganhei o dia, e muito mais que isso, ganhei uma estrela na particular constelação que chamo “Vida”, que é meu pensamento. Abração, Fagner Godoy Moura... (BabertSM), vale-UUUU.
OBS. TUDO OCORREU MUITO NATURALMENTE, LEMBRO-ME QUE MEU FILHO DISSE QUE IRIA PASSAR MEU LIVRO PARA UM AMIGO VIRTUAL. NA ÉPOCA NÃO DEI TANTA ATENÇÃO, AFINAL JÁ PASSEI PARA TANTAS PESSOAS QUE NÃO O LÊEM REALMENTE, PESSOAS PRÓXIMAS A MIM, ÀS QUAIS QUASE IMPLORO QUE LEIAM E ME PASSEM A IMPRESSÃO. JUSTAMENTE PORQUE QUERO QUE NÃO LEIAM PARALELAMENTE AO COMUM DE LEITORES QUANDO JÁ FOR EDITADO E SIM QUE PARTICIPEM NA FONTE DA REALIZAÇÃO. DAÍ A SURPRESA E A ALEGRIA!

Um comentário:

HIPER VENDAS disse...

É realmente maravilhosa a sensação de termos conseguido influênciar alguem para algo que consideramos bom!
Ah! gostei da sua forma de escrever passa a impressão da sua alma e o sentimento profundo do ser e a causa dos tais que o amigo conseguio exteriorizar.